replica handbags replica handbags louis vuitton replica handbags 350-001 350-018 350-029 350-030 642-813 642-832 646-206 642-902 640-553 640-554 640-721 640-816 70-270 70-412 70-642 70-680 c2090-303 c4120-782 c2180-276 c4040-122 c4040-123 c4040-124 c4040-221 c4040-224 220-701 220-702 220-801 220-802 225-030 640-554 640-721 640-760 640-802 640-816 640-822 640-863 640-864 642-813 642-832 640-461 640-553 640-554 640-721 640-760 640-802 640-816 640-822 642-813 1z0-024 1z0-025 1z0-026 1z0-027 1z0-030 1z0-031 1z0-032 1z0-033 1z0-034 1z0-035 1z0-036 1z0-040 1z0-041 1z0-042 1z0-043 1z0-046 1z0-047 1z0-048 1z0-050 1z0-053 100-101 200-101 200-120 350-001 350-018 350-029 350-030 350-050 350-060 640-460 640-461 640-553 640-554 640-816 640-822 640-863 642-813 642-902 642-832 70-412 1y0-a26 156-215-71 117-202 117-102 117-101 642-584 642-416 6402 000-540 1y0-a21 1y0-a19 1y0-a20 1y0-256 1y0-223 1y0-222 pk0-003 sy0-301 n10-005 ht0-201 225-030 648-232 646-048 1z0-597 acsm 646-048 644-066 642-416 3i0-012 312-50v8 1d0-610 156-315-75 000-540 pmi-001 vcp-510 000-105 000-089 000-080 000-017 70-412 70-411

Notícias

santiago ydáñez - "De hielos y de Santos" - México

Inaugura no próximo dia 5 de Setembro, na GE GALERIA na cidade de Monterrey, México uma exposição de pintura, obra recente,  que o Artista granadino Santiago Ydáñez intitulou "De Hielos y de Santos"

O curador Omar Pascual Castillo (Habana - Cuba, 1971), escreve sobre o artista e a exposição:

“Ver para crer… ou pintar o que se crê, segundo Santiago Ydáñez
Fazer o esboço de uma busca infinita da fé mediante o exercício da arte contemporânea, é de alguma forma o que faz habitualmente Santiago Ydáñez; este artista andaluz nascido em Jaén, e residente em Berlim, cuja prestigiosa e prolífera carreira artística lhe possibilitou expôr a sua obra em países como Estados Unidos, Portugal, França, Alemanha, Itália, México e Espanha.
Com uma forma veloz de fazer e um traço resolutivo de grande  fluidez, ele (Santiago), “pinta aquilo que vê”, porque “crê” no poder sacralizador da Pintura como mecanismo de subjectivação do olhar, “crê” na sua capacidade como mecanismo idólatra, como fábrica de novos fetichismos.
Assim, Ydáñez, pinta aquilo que - desde sempre – esteve ligado aos “valores em que acredita”, aquilo que está próximo da vida natural e da vida de auto reflexão do sujeito, onde o lado selvagem da natureza e a sua brutalidade convivem com a beleza da paisagem nevada, ou  a máscara de um rosto escultórico gótico e/ou barroco, com o pescoço torcido de um cisne, ou a imagem fotográfica de um animal dissecado, junto à “Cruz de Caravaca”, o “Niño de Atocha”, ou a cabeça de um veado recém caçado.
Todos… signos de vida e de morte, convivem na dúvida existencial da fé; incerteza à qual Santiago Ydáñez escapa enfrentando aquilo que o salva da dúvida, o Acto de Pintar.”

Omar-Pascual Castillo
Granada, Espanha.
Verão, 2009.

 
 
 

2015 GALERIA FERNANDO SANTOS

all rights reserved © web project see link